sábado, 7 de agosto de 2010

POXA, LEONARDO, VOCÊ QUEBROU MEU COPO DE BUENOS AIRES!

Já é possível perceber, leitor, pelas letras colocadas nessa frase acima, que Leonardo acaba de fazer uma besteira. Não sendo a única, nem a recente solitária, ele está, mais uma vez, à mercê do ódio que lhe martela a alma e a cabeça.

EU GOSTAVA TANTO DESSE COPO! SÓ DEUS SABE QUANDO VAMOS À ARGENTINA DE NOVO,
gritou Angélica, não histérica, mas odiosa.

Leonardo, sentindo o peso dos dias e dos anos sobre seus ombros, pulou com os dois pés sobre os cacos, cortado suas solas e urrando de dor. Caiu.

LEONARDO! MEU DEUS!

No chão e esvaindo de sangue, Leonardo parecia feliz. Foi ficando pálido até fechar os olhos enquanto Angélica gritava, mais uma vez, sem saber o que fazer.