terça-feira, 28 de setembro de 2010

Numa sexta à noite, percebi uma linda menina sentada a algumas mesas longe de mim no bar. Fiquei olhando pra ela quase a noite toda e, quando já ia tomar minha atitude, o garçom trouxe um guardanapo com algumas frases escritas com lápis de olho:

“Não tenho vida social ativa.
Não tenho perfil em redes sociais na internet.
Não tenho carro novo.
Não tenho um bom emprego.
Enfim, não tenho nada.
Não tenho nem a mim mesma...”

Me levantei e fui embora. Imagina se eu ia querer ficar com alguém que não tem perfil na internet? Jamais.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010


Depois de anos sofrendo em silêncio, um grupo de homens resolveu fundar a AMT: associação de maridos traídos. Logo ela se espalhou pelo mundo. Numa dessas reuniões, dois novos membros aparecem:

Olá, meu nome é Bento, mas me chamam de Bentinho ou Casmurro. Tô nessa reunião hoje porque... bem... vocês sabem. Ela é uma linda mulher, mas a puta me traiu com meu melhor amigo.
 Ainda não superei isso. Parece que foram séculos, sabe? Mas eu continuo sentindo isso aqui dentro. No meu coração.
Até um filho ela fez com ele. Vaca. Ele não é culpado: ela tem uns olhos que cativam qualquer mortal.
Não quero mais ver essa mulher nem pintada de ouro. Já a mandei pra longe. Agora só quero viver com essa dor. Eu e ela. A dor, claro.
Obrigado por me ouvirem, amigos.

Ok, Bento. Aplausos pra ele. O próximo da lista é... Charles Bovary... por favor, venha até o microfone.