segunda-feira, 4 de novembro de 2013

O Tesouro

Um dia, numa ferraria que ficava na Europa, Navratilava estava fazendo metais quando viu que junto às moedas que tinha recebido na sua última venda, tinha um papel. Quando abriu, viu que era um mapa, então disse:
—Paiiii! Vem ver!
Então, o pai correu rapidamente e falou:
—O quê? Um mapa?
—Sim, pai.
—É, pela cor é do século 16. O século retrasado. Tem um tesouro marcado nele!
—Então vamos pegá-lo!
—Mas precisamos de tripulação.
Assim, após muitos dias recrutando a tripulação, começaram a viagem.
Um dos dias em que houve uma tempestade o barco naufragou, mas sorte que os destroços encalharam numa ilhazinha habitada e lá concertaram a galera e seguiram viagem com metade da tripulação.
Então, viram um barco pirata que começou a atirar. De repente, o pai de Navratilava atirou com um canhão que destruiu o barco pirata e seguiram viagem. Só que não esperavam que o pirata fugisse.
Após grandes tempestades, chegaram à ilha. Assim, seguiram o mapa, acharam o grande xis no final da caverna, cavaram e acharam o tesouro. Depois, saíram da caverna e viram aquele pirata que falou:
—Esse tesouro me pertence!
Em seguida, o pirata puxou a espada, lutou contra Navratilava e ele caiu ao mar.
Em terra firme, dividiram as riquezas e Navratilava e o seu pai realizaram o seu sonho, fazer uma enorme ferraria.
Navratilava trabalhou, fez sua própria casa, se casou e teve dois filhos.